5 Dicas para comprar um switch para a sua casa

Toda infraestrutura de rede utilizada para a transmissão de dados, vídeo ou voz, requer a utilização de ao menos um switch. Estando presente na maioria das redes residenciais e corporativas, os switches de rede são dispositivos responsáveis pela conexão física entre storages, servidores, dispositivos e computadores.

Uma infraestrutura de rede que conecta diversos dispositivos precisa de uma série de regras para organizar a comunicação e o tráfego de dados recebidos por todos os dispositivos conectados. Tal organização é feita por meio de equipamentos que envolvem software, hardware e protocolos de comunicação, como os switches.

Atualmente, existem diversos modelos de switches de rede que variam em tipo, velocidade, funcionalidades, quantidade de portas e recursos.

Considerando estes aspectos, escolher o melhor switch de rede para a sua casa não precisa ser uma tarefa complicada. Com dicas simples e fáceis, é possível ter uma visão muito mais ampla de qual o melhor dispositivo para a sua infraestrutura de rede. Entenda como:

O que é um switch de rede?

Antes de prosseguirmos para as dicas, vamos entender o que de fato é um switch de rede. Basicamente, os switches de rede ou comutadores como também são conhecidos são equipamentos utilizados para conectar diversos dispositivos dentro das redes locais (LANs).

A grande maioria dos switches obedecem ao padrão ethernet, sendo este um conjunto de normas estabelecidas para a transmissão de dados entre sistemas computacionais dentro de redes de comunicação.

Neste contexto, os switches recebem os pacotes de dados enviados por qualquer dispositivo e os redireciona para seu respectivo destino dentro das redes locais, funcionando como uma espécie de intermediário.

São eles também os responsáveis por estabelecerem a trajetória dos pacotes de dados entre os pontos e como eles irão se mover de um lado ao outro da rede. Todo esse processo é feito através do MAC address.

Como qualquer dispositivo físico conectado à rede local possui um endereço MAC próprio, o switch basicamente grava estes endereços em uma tabela que posteriormente é consultada para transmitir os pacotes de dados corretamente para o destino.

Para que serve um switch?

A função de um switch é em resumo unir ou conectar diversos equipamentos em uma rede local. Considerando isso, um switch por si só não oferece conectividade com outras redes ou tão pouco pode ser usado para conectar à internet, para isso, é usado um roteador.

Entretanto, é o switch de rede o principal responsável por permitir que diversos dispositivos de uma rede possam compartilhar a mesma conexão, arquivos e dados entre si. Essa funcionalidade faz com que todos os dispositivos conectados estejam acessíveis uns para os outros.

Alguns modelos de switches permitem ainda gerenciar e monitorar o tráfego de dados de acordo com a necessidade dos usuários. Bem como, definir que um único dispositivo tenha prioridade de conexão dentre os outros.

Qual a diferença entre switch de rede e roteador?

Assim como os switches, os roteadores também são considerados dispositivos de rede e por serem fisicamente parecidos, frequentemente são confundidos. Entretanto, ambos os equipamentos se diferem em diversos pontos, principalmente quanto ao modo como estes equipamentos funcionam.

De fato, alguns modelos de switches mais modernos podem executar as mesmas tarefas que os roteadores. No entanto, switches de rede geralmente fazem a conexão de dispositivos dentro de uma rede local (LAN), enquanto os roteadores conectam uma rede a outra externa via banda larga (WAN).

Resumidamente, um roteador conecta redes a outras redes, enquanto os switches conectam dispositivos localmente.

Por que devo investir em um switch de rede?

Investir em um switch proporcionará a sua rede doméstica uma série de importantes vantagens. A começar, os switches de rede são os equipamentos que oferecem uns dos níveis mais altos de estabilidade.

Além disso, por direcionar os dados corretamente para o destino adequado ao invés de direcionar para todos os dispositivos conectados à rede, melhor permitem aproveitar a largura de banda, o que sem dúvidas possibilita o envio e o acesso de informações mais eficiente.

Também é válido destacar que os diversos tipos de switches hoje existentes permitem cobrir desde as funções mais básicas de uma infraestrutura de rede até gerenciar e priorizar o tráfego para um único dispositivo. Deste modo, é possível encontrar o equipamento que melhor se adapte a sua demanda e necessidade.

Esclarecido todos estes pontos, vamos entender a seguir como escolher o melhor switch de rede para a sua residência!

5 dicas para escolher o melhor switch de rede para a sua casa

Muitas pessoas acreditam que os switches de rede são mais bem aproveitados em ambientes corporativos. Mas, a verdade é que qualquer pessoa que precise montar uma infraestrutura de rede que conecte vários dispositivos, bem como deseja estabelecer a conexão de rede por meio de cabos ethernet, precisará de um switch de rede.

Considerando o ambiente doméstico, é muito provável que um roteador convencional não seja capaz de suportar todos os equipamentos da casa, ou ainda, que diminua seu desempenho por não conseguir gerenciar tanto tráfego ao mesmo tempo.

Desta forma, recorrer a um switch de rede é uma decisão inteligente. Vamos entender quais aspectos considerar para comprar o melhor equipamento:

1. Considere o uso

Um dos primeiros aspectos a se considerar antes de comprar um switch é levar em conta o uso que será feito do aparelho. Se o que você precisa é de um switch que libere o seu roteador e que possua poucos dispositivos a serem conectados, muito provavelmente um switch mais básico com número reduzidos de portas será o suficiente.

Entretanto, caso você queira tirar o melhor proveito de uma conexão de fibra óptica, bem como contar com maior controle e gerenciamento do tráfego de dados dos dispositivos, um Switch do tipo Fiber Channel gerenciável será a melhor opção.

Considerando o uso a qual o switch será empregado, já se pode ter uma noção de qual tipo de switch escolher, bem como qual será a velocidade necessária, a quantidade de portas e se ele deverá ser gerenciável ou não gerenciável.

2. Escolha o tipo de switch

Atualmente, existem muitos tipos de switches disponíveis, sendo estes classificados em função de até que ponto podem ser gerenciáveis ou não. Seguindo este pressuposto, há os switches gerenciáveis, inteligentes e não gerenciáveis.

Acompanhe as características, facilidade de uso e preço a seguir e descubra qual é o mais adequado para a sua necessidade:

Como vimos, existem vários tipos de switches, onde cada um é capaz de fornecer diferentes níveis de gerenciamento. Portanto, o tipo de switch mais adequado para a sua necessidade é aquele que seja capaz de suprir as necessidades do seu projeto.

3. Leve em conta a velocidade

Assim como considerar o uso do switch te ajuda a definir o tipo de aparelho a ser adquirido, o mesmo ocorre com a velocidade que depende da largura de banda necessária. Logo, opte por um switch que ofereça uma velocidade suficiente para o seu projeto, considerando também futuras atualizações.

Os principais tipos de portas que você pode encontrar, os padrões e velocidades que os switches podem operar são:

Portas 10/100: no geral, switches com os padrões 10BASE-T e 100BASE-TX, suportam em teoria velocidades de até 10 Mbps e 100 Mbps respectivamente. Exemplo: Switches Fast Ethernet, sendo comumente indicados para residências com poucos dispositivos.

Portas 10/100/1000: neste caso, além dos anteriores, operam abaixo do padrão 1000BASE-T com uma velocidade em teoria de até 1000 Mbps ou 1 Gbps. Exemplo: Switch Gigabit Ethernet. Aqui vale destacar que estes são os mais comumente utilizados para pequenas empresas e redes domésticas com muitos dispositivos a serem conectados.

Portas de fibra óptica: estes se encontram entre os padrões 100BASE-FX e 1000BASE-X, podendo operar com uma velocidade em teoria de 10 Gbps ou acima. Exemplo: Switches Fiber Channel, estes são indicados para qualquer usuário que deseja fazer melhor uso da internet de fibra óptica adquirida.

4. Avalie a quantidade de portas

A quantidade de portas também é um fator que deve ser considerado na hora de comprar um switch de rede para a sua casa. Para determinar a quantidade necessária, basta considerar a quantidade de dispositivos que precisam ser conectados à rede.

Atualmente, existem diversos modelos de switches que podem ter desde apenas 4 portas até centenas ou milhares de portas. Bem como, permitir o empilhamento ou o cascateamento dos aparelhos (estes casos são considerados para grandes empresas ou datacenters).

Para residências, em alguns casos switches de rede com 4 ou 8 portas já são suficientes para suprir a demanda. Mas, em outros, pode ser que essa quantidade seja insuficiente, logo, um switch de 12 ou mais portas pode ser a melhor opção a ser considerada.

Nos casos em que há sistemas de vigilâncias, o recomendado é reservar ao menos 2 portas adicionais para o NRV ou ponte de rede.

Além da quantidade de portas, também pode-se levar em consideração o tipo delas. Isso porque, elas podem ser adaptáveis a cabos de par trançado, de fibra ótica ou ambos. Neste contexto, o conector para cada um dos tipos é diferente.

Switches mais simples contam apenas com portas de par trançado com conector RJ-45, enquanto os mais avançados possuem portas de fibra ótica que podem ser de diferentes tipos de conectores, os mais usados são o do tipo SC.

Considerando todos estes aspectos, o melhor switch é aquele que possua a quantidade e o tipo de portas necessárias capazes de suprir as necessidades do seu projeto.

5. Avalie os recursos do switch

Independentemente do tipo de switch escolhido, é possível encontrar equipamentos com uma ampla variedade de recursos. Estes recursos, devem ser avaliados e revisados de acordo com as necessidades do projeto e da infraestrutura de rede a ser montada.

Como vimos, há os switches não gerenciáveis que não possuem nenhum tipo de recurso de gerenciamento; os switches inteligentes que permitem algumas configurações e os switches gerenciáveis que permitem configurar, controlar, gerenciar e monitorar o tráfego de dados, entre outras funcionalidades.

Alguns comutadores de rede podem inclusive possuírem a tecnologia Power over Ethernet (PoE) que permite transmitir dados e alimentar equipamentos através do cabo ethernet. Desde é claro, os equipamentos sejam compatíveis com tal tecnologia.

Vale destacar que mesmo considerando um dos tipos apresentados, é possível encontrar diversos conjuntos de recursos dentro da mesma classe. Portanto, antes de finalizar a aquisição, certifique-se de que o switch de rede escolhido ofereça todos os recursos necessários para o seu projeto de rede residencial.

Qual o melhor switch de rede para casa?

Como vimos no decorrer deste artigo, o uso do switch de rede é muito comum atualmente tanto em empresas como em residências. Sendo, principalmente, utilizado em ambientes domésticos com muitos dispositivos a serem conectados na rede local.

Considerando que há inúmeros tipos e variações de switches, é importante levar em consideração todos os aspectos aqui levantados antes de comprar um switch para a sua casa. Desta forma, você garantirá que o equipamento adquirido é o mais adequado para a sua necessidade.

Caso ainda haja dúvidas sobre qual o melhor switch de rede para a sua casa, consultar um especialista pode te ajudar a optar pelo melhor tipo e modelo.

Traga seu projeto e tire suas dúvidas

Montando uma infraestrutura de rede para a sua casa? Conte conosco. Traga seu projeto e tire suas dúvidas gratuitamente. Somos autorizados Select Cisco, Qnap, Synology, Asus e temos servidores, storages, switches, roteadores e firewalls prontos para sua empresa e residência.

Fale com o especialista
(11) 3475-5000
Produtos relacionados:

Rede de Computadores

Tudo o que você precisa saber sobre soluções de Rede de Computadores.

Switch Fast Ethernet vs Switch Gigabit Ethernet
Switch Fast Ethernet vs Switch Gigabit Ethernet

Fast Ethernet vs Gigabit: Qual é o melhor switch? Saiba quais as vantagens e desvantagens ao implementar essas soluções em sua infraestrutura de TI

Backup e recuperação de banco de dados: 7 práticas recomendadas
Backup e recuperação de banco de dados: 7 práticas recomendadas

Todo sistema, peça ou equipamento é suscetível a falha. Logo, é importante ter boas práticas de backup e recuperação de dados para evitá-las. Entenda